• (31) 3082-7662 ‎ | (31 97546-9673
  • contato@studiopowerpilates.com.br
  • Visit Us On FacebookVisit Us On Instagram

Alimentação saudável

Uma alimentação saudável pode ser resumida em quatro palavras: variedade, moderação, equilíbrio e proporcionalidade. A alimentação saudável deixou de ser sinônimo de quantidade para se transformar em qualidade. Hoje, pode-se comer de tudo, porém de forma consciente. A escolha dos alimentos deve relacionar os benefícios que estes trazem à saúde com o prazer de comer. O alimento, além de saboroso, deve ser funcional, atuando de forma positiva e eficaz em seu corpo.

Atitudes nutricionalmente saudáveis
Pensando não só no AGORA, mas também no FUTURO, pequenas atitudes podem fazer a diferença. Mudanças simples de comportamento podem acarretar HOJE em melhora na qualidade de vida, elevação da auto-estima e maior disposição e rendimento em suas atividades. A LONGO PRAZO os resultados são ainda mais significativos; atitudes saudáveis podem prevenir doenças cardiovasculares, diabetes, obesidade, hipertensão, possibilitando uma “melhor idade” mais tranqüila.
Dicas:
COMECE BEM O DIA – não deixe de tomar o café da manhã, pois esta refeição é fundamental para que o seu organismo esteja pronto para realizar as tarefas do dia, para que você tenha um melhor desempenho no trabalho ou nos estudos (a ingestão de alimentos pela manhã foi relacionada cientificamente com uma melhor eficiência da capacidade mental) e evita que você fique morrendo de fome e exagere quando for se alimentar ao longo do dia.
FRACIONE SUAS REFEIÇÕES – faça de 5 a 6 refeições por dia (3 refeições grandes e pequenos lanches entre elas). Dessa forma você aumenta o seu metabolismo, pois sempre que você se alimenta seu organismo gasta energia para fazer a digestão.
NÃO DEIXE PARA DEPOIS – pular refeições não é a melhor maneira de diminuir calorias para emagrecer. Ficar muito tempo sem comer confunde seu metabolismo, que poupa gordura e passa a utilizar a massa muscular como combustível, sem contar que você ainda pode acabar exagerando na próxima refeição.
ÁGUA, MUITA ÁGUA – hidrate-se sempre, mesmo antes de sentir sede, pois a sede é um sinal de que o organismo já está desidratado.
DÊ COR AO SEU PRATO – um prato colorido significa a presença de uma grande variedade de vitaminas e minerais, pois nenhum alimento contém todos os nutrientes que o corpo precisa. Através de uma alimentação variada você garante o perfeito funcionamento do organismo e evita carências nutricionais.
SEJA UMA PESSOA DE FIBRA – frutas, verduras, legumes e cereais integrais são alimentos ricos em fibras e por isso ajudam a regular o trânsito intestinal, proporcionam a sensação de saciedade e ainda auxiliam na redução do colesterol.
SE ENTREGUE AOS INTEGRAIS – os alimentos integrais são feitos à base de farinha integral que, por não passar pelo processo de refinação, preserva fibras, vitaminas e minerais. Então, prefira bolachas, pães, massas e tortas integrais e aumente a sua ingestão desses importantes nutrientes.
ASSIM OU ASSADO – prefira as preparações cozidas, grelhadas ou assadas às fritas que contém mais calorias e gorduras.
NÃO ENGORDE SEU PRATO – preferindo alimentos com teor reduzido de gordura e colesterol você controla melhor a sua ingestão calórica e ainda previne o desenvolvimento de doenças cardiovasculares e doenças relacionadas à obesidade.
SINTA O SABOR DOS ALIMENTOS – experimente os alimentos antes de adicionar açúcar ou sal, você vai perceber que muitas vezes não é necessário incrementá-los ou que você pode reduzir bastante a quantidade. E, se está sobrando açúcar no fundo do copo é sinal de que você está exagerando, o que impede que você sinta o verdadeiro sabor dos alimentos e ainda torna sua alimentação mais calórica e menos nutritiva.
TEMPERE O SEU DIA-A-DIA – use temperos como manjericão, hortelã, orégano, sálvia, salsinha e diferentes tipos de pimentas para dar sabor aos alimentos. Assim, você pode reduzir a adição de sal e prevenir a retenção de líquidos e a hipertensão arterial.

MEXA-SE – pratique exercícios físicos, pois além de ajudar a manter o peso adequado, você ganha mais saúde e disposição.

Referências:
<http://www.recomendo.ntr.br>
BOGDONOFF, Morton D., LEVINE, Karen. Alimentos saudáveis, alimentos perigosos. Rio de Janeiro: Reader´s Digest, 1998.

Método Pilates auxilia na recuperação de AVC

Por Rafaela Porto
A notícia que você lê abaixo ganhou destaque no portal G1.
Quem vê a dona de casa Donor Azaro D’Lippi, de 76 anos, praticando Pilates, método de controle e fortalecimento muscular, não imagina a importância da técnica na vida dela. Depois de sofrer três acidentes vasculares em três anos consecutivos (1989, 1990 e 1991), ela começou a realizar Pilates diariamente, contribuindo para recuperar os movimentos do lado direito do corpo.
“No início, eram três horas de manhã e três à tarde de fisioterapia e depois me voltei ao Pilates”, disse Donor ao mencionar que frequenta as sessões de duas a três vezes por semana. “Pilates é fundamental na minha vida”.
Segundo a fisioterapeuta, Lucélia Sant’Anna, realizar Pilates ajuda as pessoas a adquirirem uma postura melhor e terem mais disposição para a rotina de trabalho, além de fortalecer os músculos. Uma sessão de Pilates dura uma hora e é indicado para todas as faixas etárias, com exceção de crianças menores de quatro anos. “Quem inicia Pilates desde criança tem a possibilidade de crescer com a musculatura fortalecida. O abdômem é a base de tudo e vai sendo exercitado com o passar dos anos”, diz Lucélia.

Na história da técnica, Joseph Pilates criou o primeiro studio do método em 1923. Desde então, as casas especializadas se espalharam pelo mundo. Segundo a fisioterapeuta, quem não gosta do ambiente agitado de academias encontra no Pilates a calmaria que precisa. “Muita gente não gosta da agitação e procura o Pilates porque trabalha o corpo aliado a respiração. É quando podemos intensificar os exercícios”, explicou.
O método prioriza trabalhar com os limites de cada indivíduo. É levado em consideração o ritmo e o que já pode ter ocorrido com os músculos dos pacientes. Uma sessão envolve no máximo quatro pacientes e o atendimento personalizado é exigido para que o resutado seja satisfatório. “Durante a sessão é comum ficar corrigindo a postura de quem está na sessão. A gente sempre diz que há um passado do cliente que precisa ser percebido. Não é só uma coluna vertebral, se trabalha com a mente também”, afirma a fisioterapeuta.

CONSIDERAÇÕES:
Envelhecer não deve ser sinônimo de incapacidade. É possível aproveitar a vida quando se está numa idade avançada. Uma ótima maneira de se fazer isso é praticando atividades físicas.
Através os exercícios o equilíbrio é restabelecido, restaurando as conexões responsáveis pela sensação de segurança ao caminhar ou a realizar as atividades do dia-dia por exemplo.
Os exercícios focam, sobretudo, as musculaturas mais profundas, tais como o transverso do abdômen, multifídios e paravertebrais, que são responsáveis pela estabilização da coluna e do assoalho pélvico. As aulas de Pilates resgatam a flexibilidade, um dos principais problemas nesta faixa etária, nas mulheres. A prática ainda pode evitar patologias como: queda de bexiga, disfunção do assoalho pélvico, em que os músculos da região pélvica ficam fracos.
O Pilates incentiva a vontade de aprender e viver, proporcionando melhor qualidade de vida. Através dele os idosos podem resgatar a confiança em si mesmo, valorizando-se mais e desfrutando melhor das coisas boas que a vida tem a oferecer.
Cabe lembrar que qualquer prática de atividade deve ser acompanhada por profissionais qualificados para que cada indivíduo seja tratado de forma individualizada levando sempre em consideração as condições clínicas e físicas de cada pessoa.

Pilates durante o tratamento do Câncer

O National Cancer Institute explica que exercícios, em geral, têm se mostrado benéficos para doentes com câncer submetidos a tratamento e na recuperação. No entanto, muitas formas de exercício podem ser demasiado impactantes para aqueles que sofrem de fadiga e, como um efeito colateral, a fraqueza muscular. Pilates é uma opção viável para pacientes com câncer porque é de baixo impacto e recursos de exercícios que podem ser facilmente modificados para atender às necessidades do paciente e suas habilidades.

Pilates pode ser uma poderosa ajuda para pacientes com câncer em qualquer fase do tratamento. A especialista em Pilates, Mari Winsor, entrevistada para Gaiam.com, explica que os pacientes atualmente submetidos a quimioterapia podem sentir um impulso de energia a partir da prática do Pilates. Winsor também explica que o Pilates pode ajudar os pacientes a se sentir mais fortes, têm melhor circulação e, no mínimo, pode ajudar a aliviar o estresse do tratamento e recuperação.

O Stanford Cancer Center oferece uma aula de Pilates como parte de seu Programa de Assistência do Tratamento Contra o Câncer porque compreende que o Pilates pode ser altamente benéfico para o processo de cicatrização. Sua aula conta com modificações para os exercícios de Pilates projetados para pacientes com câncer ou sobreviventes. Aulas semelhantes estão disponíveis em outros centros de tratamento contra o câncer, academias e estúdios especializados no país.

Para pacientes com mesotelioma ou outros tipos de câncer, Pilates oferece os benefícios de redução de estresse, bem como leve fortalecimento e treinamento de flexibilidade. Praticar Pilates na sequência de um prognóstico do mesotelioma, ou diagnóstico de câncer similar, pode ajudar a criar um aumento da qualidade de vida e promover a recuperação mais rápida para pacientes atuais e sobreviventes.

Trecho extraído do artigo Pilates during Cancer Treatment, por Kate Flaherty, no site PilatesDigest.com

Pilates para gestantes

Por Isabelle Lindote

O Pilates vem ganhando cada vez mais espaço nas academias e já existem estúdios dedicados apenas a ensinar a técnica e ajudar pessoas a tratar diversas patologias. O método integra o corpo e a mente na realização de movimentos que exigem força, controle, equilíbrio e alongamento muscular. Além disso, se mostra uma opção adequada para gestantes em busca de novas terapias para melhorar a qualidade de vida durante a gestação.

Segundo o fisioterapeuta Sergio Machado, sócio da Metacorpus Studio Pilates qualquer pessoa pode praticar o método, já que as aulas são personalizadas. “É preciso respeitar o limite de cada aluno e são indicadas para problemas musculares, articulares, alterações posturais, fibromialgia, osteoporose e para quadros depressivos”, explica.

A técnica ajuda a eliminar dores, amplia a capacidade de realizar movimentos com baixo impacto articular, possibilita a obtenção de força e equilíbrio muscular, melhora da coordenação motora e promove a correção postural. O Pilates é ainda uma atividade anti-estresse, que proporciona bem-estar físico e mental, pois facilita a circulação sangüínea e linfática.

Benefícios para a mamãe e para o bebê

As gestantes conseguem atingir todos os benefícios da prática, principalmente com a melhora da circulação e a eliminação de dores musculares devido às alterações de postura na gravidez. A principal questão é: os ginecologistas recomendam Pilates durante a gestação?

“No caso de uma mulher sedentária a indicação é a partir do 3º mês, pois no primeiro trimestre ocorre a formação fetal e uma grande liberação hormonal que influencia todo o corpo da mulher. O aumento da freqüência cardíaca e da flexibilidade pode gerar uma sobrecarga nas estruturas”.

A contra indicação é relativa e depende de cada caso. Por isso, consulte sempre seu ginecologista-obstetra quanto à liberação da prática de exercícios na gravidez. No caso de uma mulher que já praticava exercícios, não existem restrições. O pilates ajuda na hora do parto, se este for natural, pois fortalece a musculatura pélvica o que proporciona uma melhor sustentação desta região para o peso do feto. Além disso, estimula o desenvolvimento da musculatura do abdômen e o trabalho de respiração, que também beneficia o bebê com a melhor oxigenação do organismo da mãe.

A prática tem ainda efeito preventivo. “A aluna de Pilates adquire um maior alongamento e equilíbrio na região da coluna, principalmente na lombar”, afirmam os especialistas. “Grande parte das dores presentes na gravidez são ocasionadas pelo despreparo da musculatura para sustentar o aumento de carga gerado pelo novo tamanho do ventre e dos seios”.